menu

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Escolas Filosóficas (2)

5 – ESCOLA SOCRÁTICA.
Tudo que se conhece de seu principal questionador e ferrenho “defensor” da democracia ateniense naquilo concernente ao modo de se viver, famoso filósofo e mestre de Platão, conhecido como Sócrates. O mesmo entendia que as pessoas deveriam viver de modo consonante com valores absolutos e princípios universais. Não seria uma questão de dever, mas, de merecimento que os seres humanos vivessem de tal forma. Foi acusado de impiedoso e de perverter a juventude. Suas ações foram contadas nos “Diálogos” de Platão, razão pela qual há alguns que insinuaram ser Sócrates somente um “personagem” de Platão. O ponto fundamental de seu pensamento está no fato do mesmo defender, de modo contrário, aos seus contemporâneos – os sofistas – à ideia de que existem valores absolutos nas ordens *gnosiológicas.

unnamed
Sócrates

A Metafísica – estuda o fundamento último das coisas e, a ética – definida como um conjunto sistemático de conhecimentos racionais e objetivos a respeito do comportamento humano moral. Sócrates, como educador, utilizava-se de um método pedagógico chamado de maiêutica – retirar de dentro do outro a verdade que nele está e, o conhecimento que nele habita.
Para produzir esse efeito desejado, se valia de diálogos e da ironia. Conforme comentado e lido nas partes pré-textuais. Ele viveu no período 469 a 399 a.C. e é considerado o “pai da filosofia moral”. Tamanha foi sua importância para a esfera filosófica que, atualmente, é utilizado os termos pré-socráticos e pós-socráticos.
Naquela época, Atenas era considerada uma democracia, logicamente muito diferente daquela praticada nos dias de hoje; a razão pela qual Sócrates foi julgado e condenado a morte. Como ele entendia que viver pelos princípios universais poderia exigir enormes sacrifícios, inclusive a perda da vida, preferiu morrer a se ver obrigado a negar esses princípios.
*Gnosiologia – é a parte da filosofia que estuda a apreensão do conhecimento. O chamado de Sócrates para ser educador deu-se quando ele leu o oráculo escrito no portal de Delfos: “Conhece-te a ti mesmo”

6 – ESCOLA PLATÔNICA.
Arístocles, nome verdadeiro daquele que é considerado o filósofo mais importante da história da filosofia que ficou eternizado pelo apelido de Platão, foi um ateniense de berço. Viveu de 427 a 347 a.C. fundador da primeira “Academia” uma universidade de caráter filosófico e científico. Ele se servia do conceito de seu mestre, de o bem ser a virtude e, esse bem, fica dentro do ser humano e não fora. Essa premissa era utilizada para enfatizar a alma, a realidade espiritual, como bem.

Plato
Platão

Em contrapartida, o corpo, a realidade material, era visto como o mal, sendo a morte a liberdade da alma da prisão do corpo. A principal característica do pensamento platônico é a dualidade: o real e o ideal, o bem e o mal. Para Platão, a matéria, ou mundo material, é má, caído e alienado. O que hoje chamamos de “real”, ou realidade, para ele não passava de uma sombra, uma imperfeita imitação, uma cópia descaracterizada ou uma réplica defeituosa do mundo “ideal”. Todo pensamento de Platão reflete um dualismo, vejamos;
  • Na lógica – seguia um dualismo tendente à dialética no sentido de tese versus antítese.
  • Na gnosiologia – desprezava o conhecimento sensitivo como método de conhecimento, pois esse método sensorial não passa de uma espécie de reminiscência do mundo real, de lembrança parca das coisas existentes no mundo das ideias.
  • Na psicologia – identificava o ser humano com a alma, sendo o corpo a prisão limitante e sufocante da mesma.
  • Na ética – entendia que, para dar lugar aos sentidos elevados da alma, seria necessário controlar e suprimir, se fosse o caso, os sentidos, os instintos e as paixões, pois era o meio de se separar a alma do corpo.
  • Na política – defendia um estado classista, sendo a classe principal os filósofos, que deveriam comandar o Estado, defendendo um governo do filósofo/rei.
A Ciência aqui é vista como estudo de conhecimento e não como hoje definimos ciência. A alma ou, o ser humano, foi plasmado no corpo por um deus do mau, o Demiurgo.

 7 – ESCOLA PERIPATÉTICA – LICEU.
O liceu constitui uma das três grandes escolas filosóficas da Antiguidade Grega, ao lado da Academia de Platão e da Escola Cinosargo, criada pelos cínicos após a morte de Sócrates (339 a.C.). Foi lá, perto do templo consagrado a Apolo Lykeios – que deu nome à escola – que Aristóteles fundou sua academia (Gynassium), por volta do ano 335 a.C., após retornar da Macedônia em consequência da partida de seu aluno, Alexandre o Grande, para as guerras de conquista.

4B1BF
Aristóteles

Na escola peripatética, cujo nome vem do grego antigo ‘peripatetikós’ – “que ama caminhar debatendo”, Aristóteles costumava dar aulas aos seus alunos enquanto caminhava.